Domingo é dia de…

Êta, tempo que passa voando!

O bom disso é que próximo domingo já é dia de curtir mais uma vez o evento que mensalmente leva Uberlândia pra Praça Sérgio Pacheco. Sim, Festival Arte na Praça, edição de julho!

E pra ir armando a festa dessa vez, já vai conferindo as atrações que irão se apresentar a partir das 13h.

_Apresentação teatral: “A Última Contra-Dança” com o grupo Ciranda de Cena (MG)

e

“Chimici Comici Alchemici” com o grupo Botegga Buffa Circo Vacanti (Itália)

                                                                                                                                                                                                                                                               _Orquestra Popular do Cerrado (MG)

A Orquestra Popular do Cerrado é um grupo estável de repertório formado por alunos e professores do curso de música da Universidade Federal de Uberlândia e por instrumentistas da comunidade musical de Uberlândia.

Tem a direção musical do saxofonista Goio Lima e co direção de Budi Garcia

Sua proposta é tocar música brasileira instrumental, principalmente aquela ligada aos grandes mestres do presente e do passado, além de material inédito composto por integrantes do grupo.

Já realizou inúmeras apresentações em Uberlândia, como na Casa de Cultura, Oficina Cultural, Parque Sabiá e nas cidades do entorno do triângulo mineiro.

Sua formação inclui 2 trompetes, 3 trombones,  2 flautas,  2 clarinetes e  5 saxofones nos sopros e sua seção rítmica é composta por duas percussões, guitarra, contrabaixo e acordeom.

Em seu repertório encontram-se composições e arranjos de nomes como Moacir Santos, Maestro Duda e Tom Jobim.

 _The Folsoms (MG) 

Folsom Prison Blues. O título da música antológica de Johnny Cash deu nome a uma dais mais importantes bandas do Alternative Country brasileiro: o The Folsoms. Em uma sonoridade que integra o Outlaw Country e o Rock Underground o grupo criado em Belo Horizonte em 2005 destaca-se no cenário nacional como uma das mais prestigiadas no estilo.

Conhecida por seu shows marcantes a banda lança em outubro de 2010 seu primeiro CD, pela gravadora 53HC / V8 Records. Com respeito a suas matrizes e com a apresentação de seu repertório autoral o The Folsoms mostra sua habilidade em transitar por públicos diversos sem perder sua essência fazendo uma ponte legítima entre o Country e o Rock.

_Canastra (RJ)

O Canastra chega para arrebatar corações com a combinação irresistível de jazz de New Orleans, swing, western, surf music, dixieland e rockabilly.

O primeiro álbum da banda ‘Traz A Pessoa Amada Em Três Dias’ foi lançado pela Monstro Discos em 2004 e teve a produção dos amigos Gabriel Thomaz [Autoramas] e Jimmy London [Matanza]. Em 2005 foram os vencedores do Festival ‘Oi tem peixe na rede’, e em 2007 lançaram o elogiado segundo cd, ‘Chega de Falsas Promessas’, pela Revista Outra Coisa de propriedade do músico Lobão.

O Canastra traz um show energético para cantar, dançar, se divertir e ser feliz, é com essa fórmula que esta Big Band carioca com apenas seis integrantes vem conseguindo além da simpatia do público, conquistar o respeito dos mais conceituados críticos musicais e marcar presença nos principais Festivais de Música Independente do Brasil.

Anúncios

Sobre Grupo Tamboril

O Grupo Tamboril de Arte Independente é composto por artistas, comunicadores e divulgadores culturais. Por isso, o Grupo guarda como objetivo desenvolver o intercâmbio entre as ações culturais conscientes do papel da atividade artística nos dias de hoje para que assim seja ampliada a cadeia produtiva da cultura a partir das subseqüentes trocas de tecnologia social evidenciadas nesse processo. Desde as primeiras ações em 2007, na Universidade Federal de Uberlândia, o grupo ressalta a necessidade da criação de público para os artistas universitários, assim como para a perspectiva das ações de sustentabilidade econômica e social dentro do contexto em que vivemos. Assim, o Tamboril divulga os artistas não só da Universidade, mas tem como intuito divulgar e instigar a discussão sobre a proliferação de cultura independente e das iniciativas de autogestão dentro do país de maneira geral. Vislumbra-se aqui, o fato de que iniciativas culturais independentes contribuem em muito para estimular o reconhecimento das práticas econômicas criativas que se desenvolvem não só dentro da cultura, mas em meio a nossa contemporânea plataforma de organização social. Dessa forma, como mecanismos práticos, o Tamboril executa divulgações audiovisuais e virtuais, oficinas de capacitação, grupos de discussão, articulando a isso, exibições plásticas, teatrais e musicais e eventos culturais de maneira multidisciplinar. São esses os instrumentos usados pelo grupo a fim de incitar e divulgar o atrelamento que existe entre Cultura, Sustentabilidade e Desenvolvimento. Suas ações se dão dentro da Universidade Federal de Uberlândia e também fora do campus, em parceria com demais agentes e produtores envolvidos com a cena da cultura nacional e com questões atuais de sustentabilidade.
Esse post foi publicado em Arte Independente e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s